SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Empregados da Codesp confirmam greve na próxima quinta-feira e aprovam nova contraproposta

Empregados da Codesp confirmam greve na próxima quinta-feira e aprovam nova contraproposta


Fonte: SINDAPORT (22 de julho de 2019 )
Reunidos em assembleia na noite da última sexta-feira, os empregados da Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo) reiteraram mais uma vez pela deflagração da greve a partir da zero hora da próxima quinta-feira, 25 de julho. Mas, acenaram com uma nova contraproposta, baseada nos pontos apresentados pela empresa. A categoria, que tem data-base em 1º de junho, está em Campanha Salarial.
Apesar da deflagração da greve, que já havia sido definida na assembleia anterior, os participantes aprovaram o envio de uma nova contraproposta para a Codesp, que prevê reajuste equivalente a 100% do INPC nas datas-bases de 01/06/2019, e também em 01/06/2020 e pagamento retroativo a partir de 1º de junho, independentemente da data de assinatura do novo Acordo Coletivo.
O presidente do SINDAPORT, Everandy Cirino dos Santos, destaca que a categoria quer renovar o atual acordo coletivo e está em busca da negociação.
“Na assembleia da última sexta-feira, após muitos questionamentos, aprovamos uma contraproposta em cima dos itens apresentados pela Codesp, com a finalidade de evitar a paralisação e evitar prejuízos às atividades do porto. No entanto, deixamos bem claro que caso a nossa nova proposta não seja aceita pela Codesp e nem pela SEST, a greve será deflagrada e a categoria volta a manter a proposta inicial que foi apresentada nas reuniões perante a empresa e também na audiência de conciliação no TRT: manutenção das cláusulas existentes e INPC do período integral e pagamento retroativo a partir da data-base”, explica.
Everandy Cirino ressalta que os trabalhadores da Codesp estão dispostos a negociar e a afastar o risco de greve. “Nossa prioridade é a negociação, tanto que buscamos a mediação junto ao Tribunal Regional do Trabalho. Entretanto, não dispensamos a utilização dos instrumentos legais para a solução do conflito coletivo, ainda mais quando a empresa recusa assegurar a data-base retroativa a 1º de junho, independente da data de assinatura do novo Acordo Coletivo e fazer nova prorrogação da norma coletiva”, enfatiza. Além de representantes do SINDAPORT, participaram da reunião em São Paulo dirigentes do Sindicato dos Operários Portuários e dos Engenheiros.
Na audiência de conciliação a Codesp fez uma proposta que foi rejeitada pelo SINDAPORT. Mas, no fim da tarde de quinta-feira, a empresa encaminhou e-mail com a proposta exposta no TRT para os demais sindicatos representantes de empregados da empresa.
Nova audiência de conciliação no TRT está marcada para o próximo dia 24 de julho, quando também vai ocorrer nova assembleia com a categoria.

Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais