SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   China supera os EUA como maior investidor no Brasil, revela Boletim do Ministério da Economia

China supera os EUA como maior investidor no Brasil, revela Boletim do Ministério da Economia


Fonte: Comex do Brasil (24 de abril de 2019 )

A primeira edição do Boletim de Investimentos Estrangeiros no Brasil – Países Selecionados, divulgada nesta terça-feira (23) pelo Ministério da Economia, envolvendo a China, Estados Unidos, Japão, França e Itália, revela que entre os meses de março de 2003 e 2019, em valores investidos, a China supera os Estados Unidos e aponta que os investimentos chineses corresponderam a 37% do total investido no Brasil por  esses cinco países, com um total de US$ 71 bilhões.

 

No período, os investimentos americanos totalizaram US$ 58 bilhões, apesar do maior número de projetos. Em terceiro lugar o documento menciona os investimentos japoneses, fortemente influenciados pelos resultados de 2011.

 

Ao  divulgar o Boletim, o Ministério da Economia destacou que a divulgação do Investimento Estrangeiro no Brasil, que era feita em boletins até 2018 apenas com dados sobre a China, foi ampliada e, a partir de agora, inclui projetos de outros quatro países: Estados Unidos (EUA), Japão, França e Itália. As informações – com a mesma metodologia desenvolvida anteriormente para mapear os investimentos – estão no Boletim de Investimentos Estrangeiros – Países Selecionados, publicação trimestral cujo primeiro número, referente ao período de janeiro a março de 2019, foi lançado nesta terça-feira.

 

Elaborado pela Secretaria Executiva da Câmara de Comércio Exterior (Camex), o documento está disponível para leitura e download em português e inglês. A escolha dos países foi baseada no fato de a Camex ter Memorandos de Entendimento e de Cooperação com esses cinco países. O boletim coleta uma amostra dos investimentos em fontes variadas e, ainda que possa não refletir a totalidade dos investimentos destes países selecionados, indica em linhas gerais a tendência do Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil entre 2003 e o primeiro trimestre de 2019.

 

Números

No primeiro trimestre deste ano, foram confirmados oito projetos de investimentos no Brasil nos setores de energia renovável, indústria, comércio eletrônico, logística, software e robótica. Três deles somam um investimento de US$ 859 milhões. Os demais não tiveram os valores divulgados.

 

O boletim indica que, ao longo dos 16 anos da série considerada (de 2003 ao 1º trimestre de 2019), o Brasil recebeu investimentos desses cinco países em 1.167 empreendimentos, que somam US$ 187 bilhões. A maior parte – 852 projetos, com volume de US$ 154 bilhões – em projetos brownfields (ampliação ou reformulação de projetos já existentes).

 

O meio de entrada mais utilizado pelos investidores são fusões e aquisições, o que reflete clara entrada de investidores externos como controladores de grandes empresas brasileiras e, por consequência, o baixo ritmo de ampliação da capacidade produtiva. Os projetos estão fortemente concentrados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. 

 

EUA e China predominam

?O boletim reúne informações sobre a distribuição setorial dos investimentos por país de origem do capital no Brasil. São considerados empreendimentos greenfield os projetos em que o investidor aporta recursos na construção de novas estruturas necessárias à operação, ou seja, não se baseiam em ativos preexistentes. Já os projetos brownfield são investimentos em empreendimentos preexistentes, ou em um projeto a ser desenvolvido ou atualizado.

 

No período considerado, o número de projetos de empresas americanas foi predominante, com mais de 40% do total dos cinco países. Em segundo lugar estão os investimentos japoneses, correspondentes a quase uma quarta parte do total. Os projetos chineses vêm em quarto lugar, logo após os franceses.

 

Já em valores investidos, a China supera os EUA. Entre 2003 e março de 2019, os investimentos diretos chineses corresponderam a 37% do total desses cinco países, com US$ 71 bilhões. Os dos EUA foram de US$ 58 bilhões, apesar do maior número de projetos. O terceiro lugar é dos investimentos japoneses, fortemente influenciados pelos resultados de 2011.


Mais lidas


O Covid-19 na Baixada Santista vem deixando uma alta taxa de ocupação de leitos na rede hospitalar na região. Atentos a isso e solidários a nossa população, vamos promover ações no Porto, para garantir cumprimento dos protocolos sanitários já definidos. Tudo isso através das competências da Santos Port Authority (SPA), do Sindicato dos Operadores Portuários […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais