SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Maxwell Rodrigues entrevista o novo Presidente da Codesp Casemiro Tércio

Maxwell Rodrigues entrevista o novo Presidente da Codesp Casemiro Tércio


Fonte: Jornal Portuário (1 de abril de 2019 )

 

O novo presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio Carvalho, concedeu entrevista ao programa Porto & Negócios, que teve a estreia da temporada 2019 nesta última terça-feira (26). Entre os assuntos abordados, Tércio mencionou que entre os seus objetivos estão o novo modelo de gerenciamento da companhia e a infraestrutura que pretende implantar na sua gestão.

 

O apresentador do programa, Maxwell Rodrigues, colocou em pauta outro assunto que vem sendo debatido com bastante preocupação: a dívida do fundo de pensões da Portus. A privatização da companhia Docas também foi um dos assuntos abordados. Tércio falou também  sobre saídas para o setor, como um pacto interfederativo que envolva responsabilidades articuladas nos âmbitos municipal, estadual e federal para um gerenciamento portuário que atenda aos interesses da sociedade.

 

Casemiro Tércio, que está há menos de um mês no cargo, acredita que o Porto de Santos precisa  passar por um processo de modernização. ”Se depender apenas da minha vontade na estatal, políticos não poderão mais nomear funcionários, o quadro de empregados e de terceirizados será reduzido à metade, contratos serão renegociados e algumas áreas serão arrendadas ao setor privado”, afirmou.

 

A companhia tem 1,3 mil funcionários diretos e 900 indiretos (terceirizados). “É uma máquina muito inchada”, disse. O plano é reduzir o contingente em 50%, por meio de um Plano de Demissão Voluntária (PDV), Pelo menos 400 funcionários já estariam prontos para se aposentar e 200 esperam apenas que o Portus, o fundo de pensão dos funcionários, ache solução para um rombo de R$ 3 bilhões.

 

Outro eixo, de acordo com ele, são os arrendamentos de terminais existentes e a exploração de novas áreas para geração de recursos. Quatro áreas serão concedidas neste ano a empresas privadas, com investimento previsto de R$ 500 milhões. Tércio disse que o terminal de contêineres da Libra será relicitado, processo que deve ocorrer em um ano. O contrato termina em maio de 2020, mas ele acredita que o ativo será entregue antes.

 

Perguntado sobre qual seria o maior legado que poderia deixar em sua gestão, o presidente da Codesp respondeu que, nos próximos anos, não medirá esforços para que o Porto de Santos seja lembrado não apenas por sua extensão, mas sim como o melhor porto da América Latina.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais