SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Operações   /   Governo define redução de matéria colectável para marinha mercante

Governo define redução de matéria colectável para marinha mercante


Fonte: Jornal da Economia do Mar (8 de março de 2019 )

Desde 5 de Março que está em vigor a Portaria 72-B/2019, emitida conjuntamente pelo Ministério do Mar e pela Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais e que “define os termos da redução do quantitativo da matéria colectável, entre 10 % e 20 %, para quem pretenda aderir ao regime de tonnage tax” criado em Novembro de 2018 e que já previa esta possibilidade, conforme se lê no diploma.

 

Recorde-se que o regime de tonnage tax foi instituído pelo Dcereto-Lei 92/2018 e consiste num sistema especial de determinação da matéria colectável para a marinha mercante com base na tonelagem de navios, ao qual podem aderir os “sujeitos passivos de imposto sobre o rendimento das pessoas colectivas, com sede ou direcção efectiva em Portugal, que exerçam, a título principal, actividades de natureza comercial relacionadas com o transporte marítimo de mercadorias ou de pessoas”, relembra a Portaria agora publicada.

 

A actual Portaria “abrange os navios ou embarcações com arqueação superior a 50 000 toneladas líquidas que recorram a mecanismos de preservação ambiental do meio marinho e de redução dos efeitos das alterações climáticas”, ou seja, mecanismos que permitam minimizar a poluição provocada por hidrocarbonetos, substâncias líquidas nocivas transportadas a granel, substâncias prejudiciais transportadas por via marítima em embalagens, contentores, tanques portáteis, camiões-tanque e vagões-cisternas, esgotos sanitários dos navios, resíduos gerados a bordo dos navios, bem como a poluição atmosférica gerada por navios, o impacto ambiental das operações de lastro e a poluição sonora submarina.

 

Segundo estabelece a Portaria, a redução de 10% a 20% do quantitativo da matéria colectável depende do “montante investido na aquisição e instalação dos mecanismos de preservação ambiental do meio marinho e de redução dos efeitos das alterações climáticas”. Para um investimento até 100 mil euros, a redução é de 10%; para um investimento de 100.001 a 500 mil euros será de 15%; num investimento entre 500.001 e um milhão de euros será de 17,5%; e num investimento superior a 1.000.001 euros será de 20%.

 

De acordo com o texto do diploma, “esta medida revela-se de extrema importância para a promoção do denominado «green shipping», na sequência das várias iniciativas que têm vindo a ser tomadas no âmbito da Organização Marítima Internacional e da União Europeia”.


Mais lidas


O Covid-19 na Baixada Santista vem deixando uma alta taxa de ocupação de leitos na rede hospitalar na região. Atentos a isso e solidários a nossa população, vamos promover ações no Porto, para garantir cumprimento dos protocolos sanitários já definidos. Tudo isso através das competências da Santos Port Authority (SPA), do Sindicato dos Operadores Portuários […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais