SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Governo: Companhia Docas do ES pode ser desestatizada em breve

Governo: Companhia Docas do ES pode ser desestatizada em breve


Fonte: Informativo dos Portos (1 de fevereiro de 2019 )

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou a privatização da estatal nesta terça-feira (29). Segundo o ministro, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Leyy, vai inciar o processo de análise da desestatização da Companhia Docas do Espirito Santo (Codesa). Em caso de sucesso da operação, salientou o ministro, esse projeto de privatização será estendido para outros portos do País.

 

“Ela é pequena, tem poucos contratos de arrendamento, poucos passivos trabalhistas e tem área bastante lucrativa para iniciativa privada”, afirmou o ministro.

 

Segundo Freitas, o Ministério da Infraestrutura e os Programas de Parcerias de Investimentos (PPIs) trabalharão juntos. Isso permitirá de aumentar a agilidade dos processos. A parceria com o setor privado deverá ser a principal alavanca para o desenvolvimento do País, salientou o ministro.

“PPI e ministério vão atuar em perfeita harmonia, isso vai dar mais velocidade aos processos. Estamos construindo uma carteira nova. Temos quatro anos projetados”, afirmou Freitas.

 

Em seu discurso, o ministro citou metas de desburocratização e a transferência massiva de setores para a iniciativa privada. Além disso, Freitas prezou a necessidade de um orçamento público mais organizado em projetos centrais de investimento. “Orçamento completamente pulverizado é fadado ao fracasso. É necessário ter melhor alocação de investimento”, explicou o ministro.

 

Programa de leilões

Freitas discursou durante um evento do banco Credit Suissse, em São Paulo. Além da Codesa, o ministro antecipou que neste início de ano serão realizados 23 leilões. No total, serão transferidos para a iniciativa privada:

12 aeroportos regionais,

4 terminais portuários,

a ferrovia Norte-Sul,

concessões rodoviárias em fase de estruturação.

 

O ministro Freitas ilustrou o plano de desestatização do Palácio do Planalto. Somente para as rodovias, o governo federal planeja contratar mais de R$ 100 bilhões de investimentos nos próximos quatro anos. No caso das ferrovias, o Executivo quer lançar ainda este ano as licitações da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fol) e da Ferrogrão. E também estão previsto diversos leilões de portos e aeroportos em estruturação e as reestruturações regulatórias no setor de transportes.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais