SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Mercado   /   Prós e contras de embarcar para a Europa em navios de cruzeiro no fim da temporada

Prós e contras de embarcar para a Europa em navios de cruzeiro no fim da temporada


Fonte: O Globo (2 de janeiro de 2019 )

Tudo que vai volta. E isso vale, é claro, para os navios de cruzeiro europeus que estão navegando na costa do Brasil e de outros países da América do Sul até o fim de março. Depois, esses gigantes dos mares encerram a temporada aqui e retornam ao velho continente para cumprir a agenda de verão de lá. A despedida deles pode ser boa notícia para quem quer viajar para a Europa com preços mais em conta e aproveitar comodidades e serviços das embarcações. Mas é preciso ter tempo e estar preparado para uma longa viagem.

 

Para não retornar com capacidade ociosa, companhias que atuam por aqui, como MSC, Costa e Pullmantur, oferecem bilhetes com preços abaixo dos cobrados em temporada regular. São passagens só de ida, e em trajetos que vão de 14 a 19 noites. Alguns partem de Santos, do Rio e de Recife, e têm paradas como no continente africano. Outros seguem quase que diretamente rumo à Europa, como o Seaview, da MSC, o maior desta leva de transatlânticos, em sua primeira temporada no Brasil.

 

É preciso fazer as contas, porque, afinal, depois é preciso voltar para o Brasil de avião. A Costa tem combos com a Alitalia para passagens. A CVC só comercializa a travessia pelo Soberano com o tíquete aéreo de volta já incluído. Sob consulta, também é possível comparar os preços de retorno aéreo com a MSC, que tem parcerias com várias companhias.

 

Comprar o bilhete aéreo separado pode ser uma boa, por exemplo, para aproveitar eventuais promoções. Outra dica é usar milhas, como fez a esteticista mineira Ana Varela, de 25 anos:

 

— Só paguei o navio, que saiu mais em conta do que o valor do cruzeiro regular por aqui.

 

Quem opta por este tipo de viagem precisa saber que o trajeto é praticamente todo em alto-mar. As atrações ficam por conta das próprias embarcações, e não são poucas. Restaurantes, piscinas, cassinos, tobogã e até tirolesa, no caso do Seaview. É para não sentir falta de terra firme tão cedo.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais