SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Regulamentação   /   Supremo rejeita pedidos e terminais devem pagar o IPTU

Supremo rejeita pedidos e terminais devem pagar o IPTU


Fonte: A Tribuna (24 de setembro de 2018 )

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pôs fim ao questionamento de terminais que atuam no Porto de Santos sobre o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) sobre áreas do complexo marítimo. Na última quinta-feira (20), a Corte negou, por unanimidade, provimento aos embargos declaratórios apresentados por entidades do setor. Com isso, a Prefeitura pretende começar a execução judicial e o protesto das dívidas ativas das empresas que estão em atraso em relação ao tributo.

 

“Essa decisão reforça aquilo que já havia sido decidido: o IPTU é devido e quem tiver terrenos vai ter que pagar”, afirmou a procuradora-geral municipal Renata Arraes.

 

Em abril do ano passado, depois de cerca de 20 anos de discussões, o Supremo estabeleceu que empresas privadas que exploram áreas da União, como no caso de terminais portuários, devem pagar o IPTU sobre esses terrenos. Na época, a Petrobras entrou com embargo de declaratório (pedido para o esclarecimento de decisão) sobre a sentença.

 

Um ano depois, com o indeferimento do pleito da estatal, a Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP) e a Associação Brasileira de Terminais de Recintos Alfandegados (Abtra) recorreram e entraram com novo embargo declaratório, que mais uma vez foi negado pelo tribunal.

 

A preocupação dos empresários é de que a cobrança do tributo, custo não previsto no orçamento dos terminais, pode trazer impactos negativos para o segmento portuário e outros setores da economia, tirando a competitividade do produto brasileiro e dos importados.

 

Além de uma eventual execução e penhora de bens, o protesto das dívidas pela Prefeitura limita o crédito das empresas devedoras.

 

Anistia
A arrecadação do IPTU pelos terminais representa uma receita anual de R$ 13 milhões à Prefeitura de Santos. Ao todo, 59 instalações do cais santista, controladas por 32 empresas, têm dívidas que giram em torno de R$ 308 milhões.

 

Entre junho e agosto, a Prefeitura ofereceu o programa de Recuperação Fiscal (Refis), para que os interessados em quitar dívidas de IPTU anteriores a 2017 pudessem fazer, com possibilidade de descontos na multa e nos juros cobrados. Apenas 12 terminais portuários aderiram ao programa, sendo que metade pagou os débitos à vista e os demais optaram pelo parcelamento.

 

De acordo com a procuradora-geral, depois do prazo terminado, o diretor-presidente da ABTP, José Di Bella Filho, esteve reunido com ela e com os secretários municipais de Assuntos Portuários, Indústria e Comércio, Omar Silva Júnior, e de Finanças, Maurício Franco, para pedir um novo prazo para a anistia.

 

“Não há mais possibilidade de prorrogação, pois isso dependeria de um projeto de lei. O que seria possível, no futuro, é a criação de um novo programa, mas isso ainda não está sendo estudado pela Administração Municipal”, afirmou Renata.

 

Mesmo assim, a procuradora-geral garante que quem tiver interesse em negociar a dívida com a Prefeitura deve procurar a Secretaria de Finanças. “Estamos abertos para o diálogo com o terminais”, explicou.

 

Procurados pela Reportagem para comentar o assunto, ABTP e Abtra não retornaram até o momento.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais