SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Operações   /   Presidente da Codesp pede descentralização dos portos brasileiros

Presidente da Codesp pede descentralização dos portos brasileiros


Fonte: Agência Porto (31 de agosto de 2018 )
José Alex Oliva – Presidente da CODESP    (Foto: Divulgação)

A descentralização dos portos brasileiros foi tema de encontro hoje (30), na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

 

No estado de São Paulo, os embarques são feitos pelo Porto de Santos, o mais importante do país por movimentar um terço das exportações e importações, administrado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), vinculada ao governo federal.

 

José Alex Botelho de Oliva, presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), é favorável à descentralização como forma de reduzir a burocracia no Porto de Santos. Ele acredita que a empresa pública precisa ter como objetivo a geração de lucro, recurso a ser revertido para investimento em obras de melhorias.

 

Nesse contexto, ele defendeu o reajuste de tarifa de 16,7% autorizado em maio deste ano pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Segundo ele, o último reajuste ocorreu em maio de 2015. “Se não tiver [reajuste tarifário], voltamos para o vermelho”, disse.

 

Abertura de capital

O secretário nacional de portos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Luiz Otávio Oliveira Campos, defende a abertura de capital em todos os portos do Brasil.

 

“Se tivermos a capacidade de abrir o capital para os arrendatários, usuários, operadores e industriais o nosso comércio ganha agilidade, capacidade de gestão e investimento. Teremos muito sucesso”, declarou.

 

Ele acredita também na descentralização. Na última terça-feira (28), foi publicado no Diário Oficial da União a delegação do Porto de Manaus, que passa da responsabilidade do governo federal para o estado do Amazonas. “A autoridade portuária agora pode investir e diminuir as burocracias. Estamos numa posição de vanguarda”, disse.

 

Santos

Paulo Alexandre Barbosa, prefeito de Santos, disse que “não faz sentido” que o governo estadual seja responsável por prover o acesso rodoviário ao Porto de Santos e não ter, como contrapartida, participação como autoridade portuária. “Precisamos de novo modelo de gestão, em que os entes da federação possam participar”, disse.

 

“No mundo inteiro, os portos são gestões descentralizadas, o poder local é fortalecido. Os impactos da atividade portuária se concentram no município. O Brasil precisa avançar na descentralização”, finalizou.


Mais lidas


View this post on Instagram #Repost @brasilexport Presidente do #SOPESP fala sobre Sudeste Export; garanta já a sua inscrição “Participamos do Sudeste Export pela conectividade dos assuntos estratégicos do setor portuário, envolvendo todos os atores que movimentam os principais portos do país. Tendências tecnológicas, ambientais, legais e previsibilidade de fluxos logísticos são temas cruciais para […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais