SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Operações   /   Ibama investiga responsáveis por barcos afundados em área do Porto de Santos

Ibama investiga responsáveis por barcos afundados em área do Porto de Santos


Fonte: G1 (28 de junho de 2018 )

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) irá emitir notificação à Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), pedindo providências sobre o naufrágio de dois barcos pesqueiros que estavam atracados no Porto de Santos, no litoral paulista. Os incidentes aconteceram nesta segunda (25) e terça-feira (26).

 

Os naufrágios aconteceram com menos de 24 horas de intervalo. Primeiro, a embarcação ‘Taio Maru’, que estava atracada no cais santista há pelo menos 15 anos, adernou e começou a afundar. Pelo menos 100 litros de óleo combustível velho, misturado a óleo motor, acabaram espalhados no mar.

 

Já na manhã desta terça-feira (26), a outra embarcação, ‘Kaiko Maru’, que estava ligada por cordas à que afundou primeiro, não suportou a força para baixo e naufragou. “Por volta de 10h20, os cabos de atracação estouraram e ela virou completamente”, informou a agente ambiental federal Ana Angélica Alabarce.

 

Os dois barcos eram de grande porte e, ao afundarem, além do óleo, deixaram grande quantidade de destroços no mar. “Eles estavam danificados por conta da ação do tempo. Segundo a Codesp, eram garantia de ação judicial, uma ação trabalhista, e estavam apreendidos até que o processo fosse finalizado”, explica.

 

Além do Ibama e Codesp, a Marinha do Brasil também auxilia nas investigações do naufrágio. Até o fim da tarde desta terça-feira, equipes trabalhavam na contenção do óleo derramado no canal do porto.

 

Casos semelhantes

Ana Angélica alerta que os dois casos se somam aos de outros seis barcos que afundaram na mesma área, e pelas mesmas condições. Agora, o Ibama pedirá providências sobre a situação.

 

“Uma notificação do Ibama será apresentada à Codesp, exigindo a retirada dos destroços destes dois barcos e, também, dos que já afundaram por ali”, explica. O documento deve ser expedido nesta quinta-feira (27).

 

Além disso, o documento também incluirá a solicitação de uma inspeção no antigo navio-escola da USP, ‘Professor Bernardes’. “Ele também está atracado na mesma região e se deteriorando. Abandonado, também pode ter o mesmo fim”, diz.

 

Já sobre a multa e notificações aos responsáveis pelos dois pesqueiros naufragados, a agente afirma que, por enquanto, não há nada definido. “É complicado encontrar os responsáveis. Estamos levantando possibilidades, junto à Codesp, para chegar ao autor. E, a partir daí, calcular as multas”.


Mais lidas


Conheça um pouco sobre a trajetória e o trabalho exercido pelos advogados de nossas associadas - Vivian Carvalho, gerente jurídico e compliance da Brasil Terminal Portuário e Leandro Fernandes, gerente jurídico do Terminal 12A. Pelo SOPESP, nossa Relações Institucionais, Marcelli Mello e nossa Assessora Jurídica, Gislaine Heredia.

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais