SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Todos   /   Balança Comercial: Segunda semana de janeiro tem superávit de US$ 983 Milhões

Balança Comercial: Segunda semana de janeiro tem superávit de US$ 983 Milhões


Fonte: ExportNews (16 de janeiro de 2018 )

Na segunda semana de janeiro de 2018, a balança comercial teve superávit de US$ 983 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 4,120 bilhões e importações de US$ 3,138 bilhões. No mês, as exportações chegam a US$ 7,076 bilhões e as importações, a US$ 5,581 bilhões, com saldo positivo de US$ 1,494 bilhão.

A média das exportações da segunda semana (US$ 824,1 milhões) ficou 11,5% acima da média de US$ 738,9 milhões da primeira semana, em razão do aumento nas exportações de produtos básicos (31,1%), por conta de petróleo em bruto, milho em grão, farelo de soja, minério de manganês, fumo em folhas e trigo em grão; e de semimanufaturados (8,2%) em função de ouro em formas semimanufaturadas, celulose, açúcar em bruto, alumínio em bruto, estanho em bruto e zinco em bruto. As vendas de produtos manufaturados tiveram queda (-5,6%), em consequência da diminuição do embarque de aviões, tubos de ferro fundido, etanol, cabos e fibras sintéticas ou artificiais, tratores, motores e turbinas para aviação.
Nas importações, houve crescimento de 2,7%, sobre igual período comparativo (média da segunda semana, de US$ 627,5 milhões sobre a média da primeira semana, de US$ 610,9 milhões), explicada, principalmente, pelo aumento nos gastos com adubos e fertilizantes, equipamentos eletroeletrônicos, bebidas e álcool, combustíveis e lubrificantes, cereais e produtos da indústria da moagem.

Mês

Nas exportações, se comparadas as médias até a segunda semana de janeiro de 2018 (US$ 786,2 milhões) com a média registrada em janeiro de 2017 (US$ 677,6 milhões), houve crescimento de 16%, em razão do aumento nas vendas das três categorias de produtos: manufaturados (19,5%) , por conta de torneiras, válvulas e partes, motores e turbinas para aviação, tubos flexíveis de ferro e aço, aviões, óxidos e hidróxidos de alumínio, máquinas e aparelhos para terraplanagem; básicos (17,2%) em razão de petróleo em bruto, milho em grão, soja em grão, algodão em bruto, carne bovina e minério de manganês; e semimanufaturados (6,3%), por causa, principalmente, de celulose, produtos semimanufaturados de ferro e aço, ferro fundido, ferro-ligas, catodos de cobre e alumínio em bruto.

Nas importações, a média diária até a segunda semana de janeiro de 2018 (US$ 620,1 milhões) ficou 11,8% acima da média de janeiro do ano passado (US$ 554,4 milhões). Nesse comparativo, aumentaram os gastos, principalmente, com químicos orgânicos e inorgânicos (56,7%), veículos automóveis e partes (43,4%), siderúrgicos (32,4%), plásticos e obras (32,2%) e equipamentos eletroeletrônicos (26,6%).


Mais lidas


View this post on Instagram #Repost @brasilexport Presidente do #SOPESP fala sobre Sudeste Export; garanta já a sua inscrição “Participamos do Sudeste Export pela conectividade dos assuntos estratégicos do setor portuário, envolvendo todos os atores que movimentam os principais portos do país. Tendências tecnológicas, ambientais, legais e previsibilidade de fluxos logísticos são temas cruciais para […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais