SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Novas tecnologias   /   Lacre é usado para monitorar contêineres

Lacre é usado para monitorar contêineres


Fonte: A Tribuna (28 de julho de 2017 )

De acordo com a Portaria nº 48 da Aduana, toda estufagem de contêiner com carga destinada à exportação deverá ser monitorada por câmeras com alta definição de imagem. Os equipamentos devem ser posicionados à frente da porta da caixa metálica, de modo a registrar toda a operação, até o fechamento dos cofres e a colocação dos lacres.

A regra determina ainda que todo o trajeto até o terminal de embarque também deverá ser monitorado eletronicamente.

Os equipamentos de rastreamento instalados nos veículos deverão identificar, sempre que requisitado pela fiscalização, a rota adotada no percurso entre o recinto e o operador portuário.

Uma alternativa apresentada na portaria é a utilização de um lacre eletrônico que garanta a inviolabilidade da carga do recinto de origem ao destino, Esta é justamente a solução oferecida pelo CargóWatch Secure.

O sistema permite o monitoramento remoto e o gerenciamento do contêiner durante o todo o trajeto. Isto poderá ser feito através de qualquer computador, tablet ou celular conectado à internet.

O lacre eletrônico é colocado do lado de fora do contêiner, Mas, no seu interior, também são instalados sensores. Eles são capazes de identificar mudanças de temperatura ou de luz dentro da caixa metálica.

Isto significa que, em caso de abertura das portas do contêiner, o sistema identificará uma alteração de claridade e de temperatura no cofre. Assim, o responsável pela carga receberá uma notificação via SMS ou e-mail. É possível cadastrar vários destinatários que receberão as informações sobre a caixa metálica.

Todo o trajeto feito pelo contêiner também é monitorado via GPS. De acordo com a empresa que desenvolveu o sistema, a precisão da localização é de 10 centímetros e os responsáveis pela carga podem receber informações a cada minuto sobre o posicionamento da caixa metálica.

O trajeto a ser feito pelos caminhões pode ser definido pelos responsáveis pela mercadoria. Em caso de desvio de rota indicada, também está previsto o envio de notificações.

Todos os dados de movimentação dos contêineres ficam armazenados, de acordo com as exigências da Alfândega. Segundo a portaria, as imagens devem ficar à disposição da fiscalização pelo prazo mínimo de 30 dias.

Interesse

De acordo com a empresa que fabrica o lacre eletrônico, além de Recintos Especiais para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) do Porto de Santos, armadores e até operadores portuários, através da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP) já se interessaram pelo produto.

A ideia é que ele seja comercializado em uma espécie de comodato.


Mais lidas


  Estivemos presente na primeira Expo Retomada – Evento Teste Oficial autorizado pelo Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura Municipal de Santos, para falarmos sobre a reabertura dos eventos.   Nosso Diretor-Executivo, Ricardo Molitzas participou no 3º Painel: “Novas oportunidades de gestão para o setor de eventos” ao lado da Sueli Martinez […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais